Vestibular UVA2016




A Atmosfera

A invisível esfera de gás que envolve a Terra e garante a existência de vida em nosso planeta e protege os seres vivos dos raios ultravioleta.

Postado em 05/09/2010 | 0 Comentário(s) | 14393 Acessos

Foi da junção de duas palavras gragas, Atmós (vapor) e sphîra (esfera), que nasceu o nome da estrutura de gás que envolve um satélite ou planeta: a atmosfera. Na Terra, essa "esfera de vapores" é composta de diversas camadas e, em sua porção mais densa, chega a até 800 quilômetros de altitude a partir do nível do mar. É uma espessura e tanto, sim, mas quase irrisória se considerarmos o tamanho do globo terrestre, de aproximadamente 12,8 mil quilômetros de diâmetro. Acontece que, apesar de ser tão mais "fininha", a atmosfera é essencial para a vida. Além de conter o oxigênio que respiramos, ela mantém a Terra quente, protege os seres vivos dos raios ultravioleta vindos do Sol e funciona como um escudo contra meteoritos. A composição do ar até 100km de altitude é: Nitrogênio 78,084%; Oxigênio 20,946%; Argônio 0,934%; Outros 0,036%.

Há vários critérios pelos quais podemos classificar a atmosfera. A divisão mais conhecida, feita de acordo com as variações de temperatura segundo a altitude, reparte a atmosfera em cinco camadas distintas: troposfera; estratosfera; mesosfera; termosfera e exosfera. Veja a seguir as principais características de cada uma.

A atmosfera

Troposfera

A camada inferior da atmosfera vai do nível do mar até cerca de 12 quilômetros de altitude. Sua temperatura diminui à medida que aumenta a altitude: parte daquela registrada no nível do solo e atinge -60ºC na parte superior. Nessa faixa se concentram os poluentes e acontece a maioria dos fenômenos climáticos, como formação de nuvens e chuvas. Da grande movimentação meteorológica dessa camada vem seu nome: tropos, em grego, significa "mudanças".

Estratosfera

Vem logo após a troposfera e vai até 50 quilômetros acima do nível do mar. Ao contrário de sua vizinha, contudo, lá a temperatura sobe com o aumento da altitude: lá começa em -60ºC e vai até -5ºC. O motivo dessa elevação é o aquecimento do ar na região entre 20 e 35 quilômetros de altitude, onde fica a camada de ozônio é responsável pela absorção da nociva radiação ultravioleta emitida pelo Sol.

Mesosfera

A camada mais fria da atmosfera fica entre 50 e 80 quilômetros de altitude. Sua temperatura diminui conforme subimos: parte de -5ºC na divisa com a estratosfera e chega a -95ºC. Essa queda é motivada pelo afastamento do calor oriundo da camada de ozônio e pela ausência de nuvens ou gases capazes de absorver a energia do Sol. É onde ocorrem as estrelas cadentes, quando rochas que penetram na atmosfera terrestre se incendeiam devido à enorme resistência do ar.

A aurora boreal

Termosfera

Camada mais extensa da atmosfera, ela parte de 80 e chega aos 500 quilômetros de altitude. Também é a mais quente: na parte superior, passa de 1.000ºC. O grande aumento da temperatura, que acompanha a elevação de altitude, deve-se à absorção de raios ultravioleta pelo oxigênio atômico (O), um íon que a própria radiação forma a partir do elemento oxigênio. É nessa faixa que orbitam os ônibus espaciais.

Exosfera

É a última camada da atmosfera, na fronteira com o espaço sideral. Nela, as moléculas tornam-se cada vez mais rarefeitas, libertando-se da gravidade terrestre. O final da exosfera é o ponto em que as partículas não interagem mais com o campo magnético da Terra; essa altitude pode chegar a 600 quilômetros. A temperatura exata dessa região, contudo, é um mistério. Embora não seja possível defini-la com precisão, as medições indicam um valor em torno de 1.600ºC.

	As camadas da atmosfera


Fonte:


Geografia Vestibular+Enem 2011


Deixe um comentário