Vestibular UVA2016




Umidade do ar e suas implicações

A umidade pode ser expressa em números absolutos (g/m³) e relativos (%) onde os relativos se sobressaem.

Postado em 29/09/2010 | 0 Comentário(s) | 5184 Acessos

A umidade do ar é o nome dado ao vapor de água existente na atmosfera que varia de acordo com a temperatura e a pressão do clima. A umidade não é visível a olho nu, necessita-se de aparelhos como o higrômetro para observá-la, mas ao saturar, o ar provoca alterações visíveis como é o caso de nevoeiros e neblinas que se apresentam em forma de gotículas de ar que se formam quando há perda de calor transformado as gotículas de ar em gotículas de água; orvalho que é provocado por gotículas de água que se formam em superfícies que perdem calor e geada que é provocada pelo congelamento do orvalho quando a temperatura chega a ser inferior que 0ºC.

A umidade pode ser expressa em números absolutos (g/m³) e relativos (%) onde os relativos se sobressaem. Quando usado sob forma relativa, aponta para capacidade limite que o ar possui que o permite reter o vapor de água. No inverno, a umidade relativa do ar é bem baixa causando ar seco, doenças respiratórias e dificuldades de respirar. Já no verão, a umidade do ar é mais alta o que faz com que o corpo libere líquido através do suor, resfriando assim o corpo.

Com baixa umidade, o ar fica seco

Em meteorologia, as grandezas que permitem exprimir a quantidade de vapor de água na atmosfera são: umidade absoluta, ponto de orvalho, tensão do vapor de água, etc.

Pressão de Saturação - quantidade máxima de vapor de água que o ar pode conter, a uma determinada temperatura.

Umidade absoluta (UA) é a massa de vapor de água existente num metro cúbico de ar.

Umidade relativa (UR) é a relação entre a quantidade de vapor que o ar contém e a quantidade máxima de vapor de água que o ar poderia conter (pressão de saturação), a uma determinada temperatura.

É a razão entre a razão de mistura existente no ar, a uma dada temperatura e pressão, e a razão de mistura necessária para que ocorra a saturação, nas mesmas condições de temperatura e pressão. A umidade relativa é expressa em percentagem, assim 100% de umidade relativa do ar significa dizer que o ar está saturado, o que favorece a ocorrência de chuva. A umidade relativa do ar à 2m 850hPa representa a quantidade de umidade em toda a camada de ar próxima à superfície. Este parâmetro é importante para a determinação da instabilidade na atmosfera, auxiliando na previsão de tempestades.

A baixa umidade tem provocado incêndios

Influência da umidade do ar na saúde

Naquelas tardes quentes de verão, quando o ar está pesado e abafado, muitas pessoas sentem-se mal. Isto se dá porque o ar está praticamente saturado de vapor d’água e para nos refrescarmos, para baixar nossa temperatura corporal, nosso corpo transpira. A perda de água para a atmosfera com o suor é um importante mecanismo de controle de temperatura. Mas e se o ar já está cheio, saturado de vapor d’água, o que acontece? Nosso suor não evapora e com isso não perdemos calor para o meio, ficamos com uma sensação ruim de calor. Embora incômodo, este grau de umidade não causa tanto mal a saúde, bastando tomar medidas simples como resfriar e ventilar o ambiente.

No outro extremo, no inverno, quando a umidade relativa está baixa sofremos com a diminuição da hidratação das vias aéreas e dos olhos. A baixa umidade do ar agride as mucosas que revestem as fossas nasais e o trato respiratório como um todo, tornando mais propensas crises de asma e bronquite e infecções virais e bacterianas. Mesmo em invernos com temperaturas altas a pouca umidade é bastante nociva. Até porque apesar de transpirarmos, a água que sai do nosso corpo é absorvida pelo ambiente deixando, por exemplo, a pele ressecada.

	Nessas condições, as crianças e os idosos são os

Estado de atenção – entre 20% e 30%:

Consumir muita água;

Entre as 11h e 15h deve-se evitar exercícios físicos ao ar livre;

Proteger-se do sol em locais sombreados e áreas com vegetação;

Com o intuito de umidificar o ambiente, utilizar toalhas molhadas, recipientes com água (bacias, por exemplo), vaporizadores, regador de jardim.

Estado de alerta – entre 12 e 20%:

Seguir as mesmas recomendações do estado de atenção;

No período das 10h às 16h não fazer exercícios físicos ao ar livre;

Umedecer os olhos com soro fisiológico;

Evitar aglomerações em locais fechados.

Estado de emergência – Abaixo de 12%:

Além das recomendações anteriores;

E no período das 10h às 16h, os ambientes internos devem ser umedecidos;

Nesse período, aulas, cinemas ou qualquer atividade que exijam aglomerações devem ser suspensas;

Interromper qualquer atividade ao ar livre como ginástica, aulas de educação física, serviços externos como coleta de lixo e de correios.

	Cidade de São Paulo com baixa umidade do ar

Apenas como exemplo, no inverno de 2008, a cidade de São Paulo registrou umidade relativa do ar que deixou a cidade em estado de atenção.

No dia 11/08/10, Goiânia e Palmas foram as cidades mais atingidas pela seca. A umidade relativa do ar ficou em 15%. Em Brasília, a umidade chegou a 23%.


Fonte:


Como Tudo Funciona

ciencia.hsw.uol.com.br


Deixe um comentário