Vestibular UVA2016




Entenda a Formação de um Furacão

Dependendo de sua rapidez e capacidade de destruição, eles são divididos em uma escala de cinco categorias

Postado em 27/05/2010 | 0 Comentário(s) | 3515 Acessos

Para quem já assistiu - e sobreviveu - à passagem de um ciclone, a experiência pode ser arrasadora. Em Bangladesh, na Ásia, por exemplo, um desses turbilhões arrasou o país e matou centenas de milhares de pessoas em 1970. Comumente chamado de furacão ou tufão, o fenômeno, que ocorre sobre mares quentes dos trópicos, trata-se de qualquer pertubação atmosférica no centro da qual a pressão é muito baixa, provocando ventos em grande velocidade.

Dependendo de sua rapidez e capacidade de destruição, eles são divididos em uma escala de cinco categorias, batizada de Saffir-Simpson, em homenagem aos dois norte-americanos que desenvolveram essa gradação. Para nossa sorte, o Brasil não sofre com esses desastres naturais. Tudo graças às baixas temperaturas das águas do Atlântico Sul.

Furacão vista do espaço

Formando um Furacão

O furacão começa a partir da combinação de dois fatores: ar quente e úmido e a água aquecida dos oceanos das regiões tropicais;

As correntes de ar se aquecem em contato com a água, ficam mais leves e sobem, formando as primeiras nuvens. Enquanto sugam energia das águas quentes, essas correntes vão circulando em direção ao olho do furacão - região de baixa pressão no centro;

O atrito das correntes de ar com a superfície do mar faz com que os ventos e as nuvens girem de oeste para leste, no sentido de rotação da Terra. O ar mais quente vai subindo numa espiral pelo olho do furacão;

Quando as nuvens atingem cerca de 5 mil metros de altura, começa a chover. Nesse ponto, o ar seco ascendente encontra as nuvens, resfria-se, ficando mais pesado, e desce pelo olho do furacão. Esse ar, ao chegar à superficie do mar, vai formar novas nuvens;

O cinclone passa a se deslocar quando ventos externos sopram na direção oeste em grande velocidade. Se ele chegar ao continente e encontrar baixa a umidade do ar, as nuvens se desfazem e - ufa! - o vendaval acaba.

Ciclone, Tufão, Furacão ou Tornado?

Embora essas palavras sejam comumente usadas como sinônimos de furação, há uma pequena diferença entre elas. Na verdade, o "pai de todas as tempestades" seria o ciclone, como denominamos qualquer pertubação atmosférica no centro da qual a pressão é muito baixa, provocando ventos circulares com velocidade superior a 119 km/h. Ele ocorre nas regiões tropicais, sobre os mares quentes. A diferença refere-se mais a uma questão de localização. Em geral, o ciclone que se forma sobre o oceano Atlântico é chamado de furacão, enquanto o que se forma sobre o oceano Pacífico é conhecido como tufão. Por fim, há o caso dos tornados, que surgem sobre o continente, após o choque de uma massa de ar quente com outra de ar frio - a ventania toma a forma de um cone invertido e sai num turbilhão arrasador com velocidades de até 500 km/h.

	Formando um furacão

Escala de destruição - Como se mede a intensidade do vendaval?

Categoria 1 - Ventos de 119 a 153 km/h, danos mínimos. Quase não há destruição. Prédios e casas permanecem intactos, mas o vento arrasta arbustos e derruba galhos de árvores, além de causar pequenas inundações;

Categoria 2 - Ventos de 154 a 177 km/h, danos moderados. Telhados, portas e janelas são danificados. O nível das ondas de até 2,40 metros acima do nível normal inundam ruas da orla, obrigando a retirada dos moradores;

Categoria 3 - Ventos de 178 a 209 km/h, danos grandes. A ventania consegue derrubar árvores, inundando e abalando edificações. Construções pouco resistentes, como casas pré-fabricadas, podem desabar;

Categoria 4 - Ventos de 210 a 249 km/h, danos extremos. O poder de destruição é 100 vezes maior que o da categoria 1. Paredes e tetos de grandes construções são derrubados e ondas de até 5 metros acima do nomal provocam inundações graves;

Categoria 5 - Ventos superiores a 249 km/h, danos catastróficos. É alta a possibilidades de mortes. Ávores são arrancadas pela raiz e edifícios inteiros podem cair. Os danos se espalham por até 16 quilômetros nas áreas próximas à costa e a região precisa ser evacuada.

	Categorias de um furacão


Fonte:


Revista Geografia Vestibular 2009


Deixe um comentário