Vestibular UVA2016




A crise na Coreia do Norte

Ao final da Segunda Guerra, a península da Coreia ficou sob influencia da União Soviética no norte e dos Estado Unidos no sul.

Postado em 01/09/2013 | 0 Comentário(s) | 2183 Acessos

Entre 1950 e 1953, um conflito armado causou a morte de mais de 1 milhão de pessoas na região, e o armistício de 53 não acabou com a tensão que se intensificou nos últimos meses. As duas Coreias estão, tecnicamente, em estado de guerra desde a metade do século passado. Ao final da Segunda Guerra, a península ficou sob influencia da União Soviética no norte e dos Estado Unidos no sul.

Em março de 2013, exercícios militares conjuntos entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul levaram Pyongyang a encerrar uma linha de comunicação direta com Seul, e a Coreia do Norte anunciou ao mundo que estava em estado de guerra, prometendo reativar uma usina nuclear.

No início de abril, trabalhadores sul-coreanos foram proibidos de entrar na Coreia do Norte, onde trabalham em um complexo industrial que é um símbolo de cooperação entre os dois países, na cidade de Kaesong.

Tensão entre as coreias

Observadores tentam interpretar as ações do líder norte-coreano, Kim Jong-un: se está genuinamente preocupado com um possível ataque ao seu país ou se, ainda inseguro após substituir seu pai como chefe de estado, tenta mostrar firmeza à população.

Analistas acreditam que a possibilidade de um ataque nuclear é muito baixa, mas a Coreia do Norte se diz determinada a produzir mísseis capazes de atingir os Estado Unidos.

A Coreia do Norte diz ter dado às suas Forças Armadas aprovação para lançar ataques contra os Estados Unidos, inclusive com o uso de armas nucleares.

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un

A declaração norte-coreana se dá após os Estados Unidos terem reforçado sistema de defesa de mísseis em sua base na ilha de Guam, no Oceano Pacífico, como reação ao que os americanos disseram ser um perigo claro e real representado pelos norte-coreanos.

A Coreia do Sul afirma que o país vizinho, ao norte, posicionou um míssil bem próximo à sua costa leste.

A Coreia do Norte reagiu com indignação ao sobrevoo de aviões de guerra americanos sobre a península coreana, realizado recentemente.


Fonte:


BBCBrasil

www.bbc.co.uk/portuguese/


Deixe um comentário