Vestibular UVA2016




Vredefort, A maior cratera o mundo

Estima-se que o meteoro que causou a cratera tivesse entre 6 a 10 km de diâmetro e que este embateu na Terra há cerca de 2,1 bilhões de anos.

Postado em 21/03/2011 | 0 Comentário(s) | 6003 Acessos

A cratera de Vredefort, com 300 km de diâmetro e mais de dois bilhões de anos, é considerada a maior e a mais antiga cratera de impacto já descoberta na Terra.

Localiza-se na Província do Estado Livre da África do Sul. A localidade de Vredefort situa-se dentro da cratera e dá nome à mesma.

Vredefort

Estima-se que o meteoro que causou a cratera tivesse entre 6 a 10 km de diâmetro e que este embateu na Terra há cerca de 2,1 bilhões de anos com uma intensidade 40.000 a 250.000 km/h.

É um testemunho do evento conhecido que mais energia libertou e que causou enormes mudanças globais, incluindo mudanças evolutivas. Apesar da importância para a história do planeta, actividades geológicas na superfície da Terra levaram ao desaparecimento de evidências da maioria das áreas de impacto. Vredefort é hoje o único exemplo que fornece todas as características deste tipo de formação na superfície do planeta.

Uma cratera hipotética em Wilkes Land na antártida

Em 2006 pesquisadores liderados por Ralph von Frese descobriram em Wilkes Land na antártida uma cratera com 480 km de diâmetro. A Cratera da Terra de Wilkes é uma cratera hipotética situada Terra de Wilkes na Antártida oriental sob um manto de gelo de 2 km de espessura. Confirmada a sua existência seria a maior cratera de impacto conhecida na Terra, com aproximadamente 480 km de diâmetro.

Cientistas da Universidade de Ohio, liderados por Ralph von Frese e pelo geólogo Laramie Potts fizeram em 2006 essa descoberta, eles contaram com dados do satélite Grace e com a ajuda de cientistas da NASA, Coréia do Sul e Rússia.

Desde de 2004 já havia suspeitas da existência dessa cratera; equipes fazendo prospecção de petróleo no sul Austrália retiraram amostras de rocha da região; baseado nessas amostras a equipe Luann Becker, da Universidade da Califórnia, descreveu a existencia de uma grande cratera de impacto no litoral noroeste da Austrália.

Segundo os cientistas, um cometa de 45 Km de diâmetro colidiu com a terra a 250 milhões de anos atrás; esse cataclismo foi tão gigantesco que causou a ruptura do continente gigante Gonduana que reunia a América do Sul, a África a Antártida e a Austrália; alem de provocar a extinção de 90% das espécies viventes durante o período Permiano-Triássico, a maior extinção em massa conhecida.


Fonte:


Wikipedia

www.pt.wikipedia.org/wiki


Deixe um comentário