Vestibular UVA2016




ETA declara cessar-fogo

O governo da Espanha recebeu com ceticismo o anúncio de um cessar-fogo definitivo por parte do grupo separatista basco ETA.

Postado em 31/01/2011 | 0 Comentário(s) | 4613 Acessos

O grupo separatista Pátria Basca e Liberdade (ETA) declarou um cessar-fogo “permanente e geral em 10 de janeiro de 2011. O anúncio foi feito em um vídeo, postado no site do jornal basco Gara. A medida poderia encerrar uma campanha de 42 anos de violência da organização. O governo espanhol desconsiderou o anúncio e exigiu que o grupo se disperse completamente. A ETA afirmou que o cessar-fogo é um sinal de seu comprometimento com um processo de paz definitivo no País Basco e rumo ao fim da confrontação armada. “Os cidadãos bascos devem ter uma voz sobre seu futuro, sem qualquer tipo de interferência”, afirmou um dos três membros encapuzados da ETA que aparecem no vídeo, que mostra uma faixa da ETA e uma bandeira basca.

O governo da Espanha recebeu com ceticismo o anúncio de um cessar-fogo definitivo por parte do grupo separatista basco ETA. O vice-premiê e ministro do Interior do país, Alfredo Pérez Rubalcaba, disse que se “trata de uma boa notícia, mas não é suficiente, pois o grupo armado mantém as mesmas pretensões e arrogância de sempre ao condicionar o fim da violência”. Esta não é a primeira vez que os separatistas declaram trégua e depois voltam atrás.

Em setembro de 2010, a facção armada divulgou um anúncio semelhante, que também foi rechaçado pelas autoridades espanholas. O grupo, responsável pela morte de cerca de 825 pessoas em mais de 40 anos de violência pela independência do país basco, já havia prometido o fim das atividades terroristas em 2006 e em 2009, mas voltou a realizar ataques em seguida.

Integrantes do ETA

A nota dá sinais, contudo, de que o grupo não está disposto a ceder na causa. A solução para a guerra basca, afirma, "chegará através de um processo democrático que tenha a vontade do povo basco como máxima referência e o diálogo e o direito de autodeterminação, que são o núcleo do conflito político".

Fundado há 51 anos, o grupo já foi autor de mais de 850 assassinatos em sua campanha armada para fundar uma nação independente formada pelo País Basco espanhol, a vizinha região de Navarra e o País Basco em território francês.

Mas há motivos para crer que esse pode durar mais tempo. O grupo está bastante debilitado, com seus principais líderes presos e a capacidade de organizar ataques, reduzida. Desde 2007, mais de 400 membros foram presos, 68 deles em 2009. Há pressão cada vez maior entre os bascos para que adote a via política.

Surgimento da ETA

A ETA que tem origem num grupo estudantil chamado Ekin "é um grupo que pratica o terrorismo como meio de alcançar a independência da região do País Basco (Euskal Herria), de Espanha e França. A ETA possui ideologia separatista/independentista marxista-leninista e revolucionária. É classificada como um grupo terrorista pelos governos da Espanha, da França e dos Estados Unidos, pela União Europeia e pela Amnistia Internacional.

O País Basco, localizado entre a Espanha e a França e organizados na ETA (Euzkadi Ta Askatana - que em língua basca significa Pátria Basca e Liberdade), lutam pela independência do País Basco e pela definição de territórios autônomos. Presume-se que o povo basco tenha ocupado a Península Ibérica por volta do ano 2000 a.C. e tenha resistido as constantes invasões sofridas pela região ao longo dos séculos. Apesar da dominação romana, os bascos mantiveram sua língua, costumes e tradições, num processo de constante resistência. A língua basca não tem parentesco com nenhuma outra no mundo e embora seja a língua mais antiga falada hoje na Europa.

Localização do País Basco

	Atentado da ETA no Aeroporto de Barajas em Madrid

Dominados pela Espanha desde o século XVI, os bascos nunca aceitaram o governo central espanhol, acusando de expropriar as riquezas da região e de impedir manifestações políticas. A partir da década de 1960, intensificaram-se as manifestações pela independência, sobretudo por meio de ações terroristas pela ETA.

A ideia de um país basco independente surgiu no século XIX com a fundação do Partido Nacionalista Basco (1894). Porém, esse plano foi interrompido quando da instalação da ditadura na região que colocou fim ao partido. Fundada em 1959 por jovens do antigo Partido Nacionalista Basco, a ETA é uma associação separatista que atua com violentas ações na busca de terem seus objetivos concretizados.


Fonte:


Folha; Veja; Bem Paraná


Deixe um comentário