Vestibular UVA2016




Novo Fuso Brasileiro

Os 22 municípios do Acre ficarão com diferença de uma hora em relação a Brasília - hoje são duas horas a menos. Municípios da parte oeste do Amazonas, na divisa com o Acre.

Postado em 22/05/2010 | 0 Comentário(s) | 4241 Acessos

O Brasil passa a ter três em vez de quatro horários diferentes. O Diário Oficial da União (DOU) publicou a lei que reduz em uma hora a diferença entre o Acre e parte do Amazonas, em relação ao horário de Brasília. A lei foi proposta pelo senador Tião Viana (PT-AC).

A sanção da lei é de suma importância para a adequação dos programas televisivos a crianças e adolescentes da Região Norte. As redes de televisão seguem o horário oficial de Brasília para exibição dos programas. Assim, com a menor diferença entre os horários, fica mais fácil adequar a classificação indicativa da transmissão.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou no último dia 24/05/08, sem vetos, a lei que reduz de quatro para três o número de fusos horários usados no Brasil. A mudança atingirá municípios nos Estados do Acre, Amazonas e Pará.

Rio Branco no Acre

Dentro desse prazo, os 22 municípios do Acre ficarão com diferença de uma hora em relação a Brasília - hoje são duas horas a menos. Municípios da parte oeste do Amazonas, na divisa com o Acre, sofrerão a mesma mudança, o que igualará o fuso dos Estados do Acre e do Amazonas.

A mudança na lei também fará com que o Pará, que atualmente tem dois fusos horários, passe a ter apenas um. Os relógios da parte oeste do Estado serão adiantados em mais uma hora, fazendo com que todo o Pará fique com o mesmo horário de Brasília.

O projeto, de autoria do senador Tião Viana (PT-AC), foi aprovado no Senado em 2007. Ao tramitar na Câmara, foi alvo de pressão de emissoras de televisão. O lobby foi por conta da entrada em vigor de portaria do Ministério da Justiça que determinou a exibição do horário de programas obedecendo à classificação indicativa.

Parlamentares da região Norte ainda pressionam o governo em virtude das regras da classificação indicativa. Ela determina que certos programas não indicados para menores de 14 anos, por exemplo, não possam ser exibidos em todo o território nacional no mesmo horário, já que existem diferenças de fuso.

Fuso horário antes e depois da mudança

Segundo o autor do projeto, o Acre e o Amazonas são bastante prejudicados pela diferença de duas horas em relação ao fuso horário de Brasília, situação que se agrava durante o horário de verão, quando a diferença passa a ser de três horas. Ele lembrou ainda que está tramitando um projeto de decreto legislativo que visa convocar plebiscito para ouvir as populações com relação à alteração no fuso horário.

Caso aprovada proposta de convocação do plebiscito, este projeto terá sua tramitação sustada até que a população decida sobre a questão - afirmou Tião Viana, na justificação da sua proposta.

Ao explicar seu parecer favorável à matéria, Delcídio afirmou que a atual diferença de duas horas em relação a Brasília prejudica a integração do Acre e de parte do Amazonas com o restante do país.

A redução permanente de uma hora permitirá uma maior integração com o sistema financeiro do resto do país, facilitará as comunicações e o transporte aéreo e resultará numa participação mais efetiva na vida econômica, política e cultural dos centros mais desenvolvidos - justificou Delcídio.

Durante o debate, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) afirmou que o projeto vai representar também uma economia de energia para as regiões beneficiadas.

	Fuso horário antes e depois da mudança


Fonte:


Tiberigeo Tiberiogeo. A Geografia Levada a Sério.


Deixe um comentário